Archive Page 3

Fragmento 45


fotografar, às vezes, é conversar sozinho
e atravessar para o outro lado
recolhendo vestígios
que podem ser transformados em diálogos
para criar novas possibilidades
e outros significados

Anúncios

Fragmento 42


a satisfação de comprar a mais nova coisa
que não preciso
e o prazer de ocupar minha vida
trabalhando para poder pagar
deixam os dias e as noites
com um gosto azedo de desperdício
e um cheiro insuportável de enganação
mas sou eu quem faz minhas próprias escolhas
e não desisto tão facilmente dos meus sonhos
de consumo
enquanto algumas pessoas se iludem
preferindo fotografar e juntar
estranhos fragmentos
para criar algum tipo de sinapse
que poderia até
provocar questionamentos
se não fosse mais uma piada
 

Fragmento 18


como um bom pressentimento
que não pode ser ignorado
a câmera parece antecipar o olhar
colocando em movimento
o raciocínio e a emoção
para ir além do labirinto das referências
e aceitar mais uma vez
a singularidade que se apresenta
como se o acaso fosse por acaso

Fragmento 9


aqui não dá pra ficar sem se tornar um motorista violento.
estou pronto pra seguir em frente?
transformado em algo que não sou
ou ao menos suponho vagamente que não sou
mas de repente acabo me tornando por pura reação às circunstâncias…
tudo o que eu sei pode não ser o que realmente é, seja lá o que for….
o muito que se perdeu pelo caminho
estes fragmentos que eu tento capturar e recolher.

Fragmento 37


algumas imagens você persegue sistematicamente
aceitando o jogo proposto pelo acaso
outras imagens encontram você da forma mais inesperada
e acenam para testar o seu comprometimento
uma parte da brincadeira tem a ver com manter-se na estrada o tempo
suficiente
e custa mais da sua vida do que você gostaria de admitir
a outra parte não tem nada a ver com fotografia
e você não fala sobre isso
 

Fragmento 33


as pernas anestesiadas pelo movimento intenso e contínuo
o suor lavando o corpo e a mente
a presença de amigos antigos e recentes
músicas que concentram
músicas que aceleram
do sorriso a gargalhada, deslizando e criando atrito
aqui eu volto ao começo
aqui eu dou um passo a frente
minha reputação me precede?
aqui eu desapareço

Fragmento 13


o que eu busco não está lá fora,
sendo comprado ou vendido.
ainda consigo aprender?
um foco perfeito tem algo de concreto e objetivo,
como se a realidade fosse tangível e confiável.
eu não sei o que estive fotografando
durante todo este tempo
e talvez não saiba através dos olhos.
escrever com luz, sim
e com o prazer de ouvir
o som metálico das cordas de um violão
vibrando…
enquanto é a luz que me escreve
numa superfície sensível
a ser revelada