Fragmento 50


pensando em cada foto
como quem visualiza e assimila o seu significado
deixando-se levar pelas sensações
diante da surpresa de encontrar também
outros significados
que iluminam a vida através dos olhos
e renovam a própria alegria de viver

Fragmento 10

tudo já está lá antes de você chegar.
e com um pouco de concentração
os elementos entram em alinhamento
para que os objetivos propostos
possam ser visualizados
como numa fotografia,
como em uma manobra
ou como em momentos importantes da sua vida

Fragmento 3

dos lugares onde estive
das situações que vivenciei
trago apenas o que restou
do meu corpo como suporte para o pensamento
e alguns fragmentos
que vão se acumulando ao longo dos anos
deixados para depois
em algum tipo de arquivo cada vez mais intangível
enquanto outras experiências acontecem
exigindo RENTABILIDADE ou UTILIDADE
e a vida manda sinais
mostrando que pode ser muito mais
do que fotografias não compartilhadas
e falta de senso de humor

 

Fragmento 5

as pessoas nas ruas
parecem saber de alguma coisa
que eu não sei ou não consigo entender.
e quando eu faço tudo parar
fotografando a dúvida como quem ouve um amigo
surgem novos sentidos
para caminhar ao lado
de antigos questionamentos

Fragmento 47

os olhos fecham
e quando abrem outra vez
a brincadeira quase escondida
das tardes despreocupadas
transformou-se numa forma de desafiar
tudo o que não podia ser feito.
ver se torna tentar capturar
um pouco daquela sensação do impossível,
como se algum tipo de imagem
pudesse preservar um gosto que poucos conhecem

Fragmento 29

como nas primeiras vezes
quando a vontade é maior do que o medo
e você está um pouco assustado
mas continua olhando direto nos olhos
e avançando na direção oposta do que seria seguro
atraído pela melodia e pela estridência
e por um instante você vê
o que vem antes e depois
e aquilo realmente parece fazer algum sentido
e você sente aquele gosto estranho
e gosta
e tudo se torna algum tipo de energia
e no momento em que alguém faz uma foto
você se sente ardendo
e não quer nada menos do que isso

Fragmento 40


de onde vou, pra onde venho
voltando de onde estou
a distância e a ausência fazem parte do que eu sou
e agora eu sou…
qualquer coisa na imensa ilha da ilusão
mudando tudo de lugar
e brincando de conectar significados
de objetos que refletem a imitação do olhar